Blog do Kenard – Notícias e Análises

31 de maio de 2012 às 12h56min

Edivaldo Holanda Júnior se encaminha para ser
o candidato a prefeito do grupo de Flávio Dino

Tudo leva a crer que o candidato a prefeito de São Luís do grupo liderado pelo presidente da Embratur, Flávio Dino (PCdoB), será mesmo o deputado federal Edivaldo Holanda Júnior (PTC). Tentei contato com Dino, porém não consegui. Mas, dificilmente, ele confirmaria.

Falei, no entanto, com o presidente do PCdoB de São Luís, Márcio Jerry. Perguntei:

- É verdade que o candidato do grupo de Flávio Dino será mesmo Edivaldo Holanda Júnior?

Jerry respondeu que não há nenhuma decisão nesse sentido. “Há quatro critérios, Kenard, acordados entre os pré-candidatos do grupo. Entre eles as pesquisas quantitativas e qualitativas. Só no próximo sábado é que será decidido quem vai ser o candidato do grupo”.

Reafirmei que tinha informações seguras de que o candidato seria Edivaldo Holanda Júnior. Márcio Jerry voltou a negar que hoje já exista essa decisão.

Imediatamente, liguei para uma pessoa ligada ao PDT, que apoia Edivaldo Holanda Júnior. Fiz a mesma pergunta:

- É verdade que o grupo vai escolher Edivaldo Holanda Júnior?

Recebi como resposta:

- Kenard, ainda não está decidido, mas com certeza o grupo precisa estar unido em 2012 por causa de 2014.

Retruquei que tinha informações de que Holanda Júnior levava vantagem na disputa. recebi como resposta:

- A questão não é de nomes, mas de projeto. Acredito que todos estaremos juntos, pensando na mudança de 2014.

Voltei a insistir:

- Digamos que pelos critérios estabelecidos pelo grupo, o nome indicado seja o de Tadeu Palácio. Edivaldo Holanda Júnior e seu grupo vão apoiar Tadeu e Flávio em 2014?

Resposta:

- Claro. Quando entramos no jogo e estabelecemos regras, todos estávamos sabendo que de quatro nomes três não seriam escolhidos.

Logo depois tentei falar com o ex-prefeito Tadeu Palácio. Também não consegui, o telefone estava fora de área. Mas consegui falar com pessoa da maior proximidade com Palácio.

Perguntei:

- Fiquei sabendo que são grandes as possibilidades de Edivaldo Holanda Júnior ser o candidato do grupo de Flávio Dino. Vocês sabem disso? Como fica Tadeu nessa história?

A pessoa respondeu:

- Em primeiro lugar, foram estabelecidos critérios para a escolha do candidato. Primeiro, era a pesquisa quantitativa. Tadeu apareceu em todas as pesquisas como o único pré-candidato capaz de fazer frente a Castelo. Depois acrescentaram outro item: a pesquisa qualitativa. Tadeu aceitou. E novamente deu Tadeu com as possibilidades de disputa. Se inventaram uma nova regra ou vão descumprir as regras anteriores, aí é outra conversa.

Perguntei, então:

- Está sendo espalhado pela internet e pelo jornalismo impresso que Tadeu Palácio, ao sentir que seria preterido, procurou o grupo Sarney. tem fundamento?

Ouvi como resposta:

- Não tem fundamento. Tadeu segue as regras do jogo que foram combinadas e desde 2008 tem dado provas de que tem palavra. É claro, como você vem dizendo, que 2012 é 2014. Se Tadeu aceitou os critérios para a escolha do candidato em 2012, cumpriu todos os ritos exigidos, mostrou nas pesquisas que é o candidato mais viável, e for preterido, naturalmente 2012 será 2014.

Pus a casca de banana:

- Isso pode ser entendido que, se o grupo preterir Tadeu, em 2014 ele estará com o grupo Sarney?

Resposta:

- Não há nada disso. Hoje, por exemplo, quem espalha que Tadeu faz contato com o grupo Sarney é justo quem não será de confiança em 2014. Ninguém se iluda que Tadeu não sabe do movimento dessas pessoas. Agora Flávio Dino e seu grupo não são meninos para não saber o que se passa.

Bom, depois de ouvir todos esses personagens, volto a reiterar: tenho informações seguras de que a tendência é Edivaldo Holanda Júnior ser o candidato a prefeito do grupo de Flávio Dino.

Na dúvida, anotem e aguardem.

 

30 de maio de 2012 às 22h06min

Como o blog havia previsto, pré-candidatura de Washington
faz água e cria confusão no grupo Sarney

O pré-candidato a prefeito de São Luís dos Sarney, Washington Luiz, não está nada contente com os últimos acontecimentos que envolvem sua decisão de disputar a Prefeitura de São Luís com a bênção do clã. Sarnopetistas negam – e não poderia ser diferente -, mas a viagem de Washington a Brasília, na companhia do primeiro-cunhado Ricardo Murad, é o mais claro sintoma da confusão. Detalhe: fonte me informa que Washington e Murad viajaram num jatinho alugado ao Governo do Estado. A ser verdade, trata-se de uma ilegalidade. Aviões alugados ao governo não podem servir para fazer política. Precedente do vice-governador existe. Mas isso fica para depois.

Washington começou a sentir cheiro de fumaça quando perdeu a prometida agência de Duda Mendonça. Este havia recusado a campanha do prefeito Castelo com o argumento de que tinha uma conta no Governo do Estado e a coisa não ficaria lá muito bem.

Acontece que no dia 20 de maio a agência de Duda Mendonça receberia a primeira de três parcelas do contrato. Não recebeu. Irritado, Mendonça decidiu não fazer mais a campanha de Washington Luiz (decidiu também não fazer a campanha de ninguém em São Luís).

Diante do problema, pensaram em outra agência, mas essa recusou por causa de uma dívida do PT que hoje, a juros bancários, beira os 5 milhões de reais. Na época a candidata a prefeita era Helena Heluy.

Então puseram o secretário de Comunicação do Governo Roseana Sarney, Sérgio Macedo, para tentar outra agência, essa também com larga experiência nas disputas em São Luís, sempre com Jackson Lago. Nova recusa. Desta vez o argumento nem foi financeiro: a agência não vê possibilidades na candidatura de Washington Luiz.

O parangolé cresceu. O secretário Sérgio Macedo iria se afastar da Secretaria de Comunicação para coordenar a campanha do petista. Aí o petista e seu entorno recusaram. Puxaram até o nome de Chafi Braide, prontamente recusado.

O sarnopetista Washington Luiz não esconde de seus interlocutores de que por trás de tudo está Fernando Sarney e a complacência da governadora Roseana Sarney. Acha que ambos – mas sobretudo Fernando Sarney – trabalham para ter Tadeu Palácio (PP) como o candidato do clã.

O certo é que Washington Luiz foi a Brasília decidido: pode até retirar a pré-candidatura agonizante, mas diz que não deixará o cargo de vice-governador. Um deputado do campo dos Sarney garante que isso não passa de bravata, já que Washington e seu grupo devem obediência a José Dirceu e Lula, que desejam tudo, menos brigar com os Sarney.

Bom, esses são os fatos. Agora é aguardar pela reunião de Sarney, Ricardo Murad e Washington Luiz em Brasília.

30 de maio de 2012 às 07h34min

PT eleva as empregadas domésticas à categoria dos ricos.
Como sempre, claro, mais uma falsificação grosseira

Ou seja: Lula é um Marx sem furúnculo e sem luta de classes

Leiam este trecho de matéria. Em seguida, faço as minhas considerações.

Classe média tem renda per capita

de R$ 291 a R$ 1.019, diz governo

As pessoas com renda familiar per capita entre cerca de R$ 291 e R$ 1.019 são as que formam a classe média brasileira, segundo uma nova definição aprovada ontem por uma comissão da SAE (Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República).

De acordo com a secretaria, essa classe representa 54% da população brasileira e é a maior do país.

Dentro da classe média, foram definidos três grupos: a baixa classe média, com renda familiar per capita entre R$ 291 e R$ 441, a média, com renda familiar per capita de R$ R$ 441 a R$ 641 e a alta classe média, cuja renda familiar per capita fica entre R$ 641 e R$ 1.019.

A classe alta estaria acima de R$ 1.019 e também foi dividida em dos grupos. A baixa classe alta ficaria entre R$ 1.019 e R$ 2.480 e a alta, que fica acima deste valor.

Os extremamente pobres têm renda per capita familiar até R$ 81 e os pobres, de R$ 81 a R$ 162.

Para definir os grupos de consumidores, foi usado o critério de vulnerabilidade, que considera a chance do brasileiro de determinada classe social voltar à condição de pobreza.

Considerações do blog

Realmente, vivemos tempos de empulhação. E tudo começou com a chegada de Lula e o PT ao poder.

Não faz muito, para demonizar o agronegócio (como faz falta a verve de um Stanislaw Ponte Preta!), o governo modificou o tamanho das terras para que a agricultura familiar passasse por maior produtora. Uma safadeza e tanto.

Lula, o fanfarrão, inventou que acabou com a pobreza. Sob a batuta do Duce o Brasil virou o único país do mundo sem pobres. Como a pobreza não se cansa de bater na porta dessa turma (eles, sim, deixaram de ser pobres ao chegar ao poder), algo precisava ser feito.

Então passaram a dizer que sob Lula os pobres migraram para a classe média. Claro, contaram com a benevolência do subjornalismo de coleira. Como as pessoas que não têm a cabeça como o caminho mais curto entre duas orelhas chiaram (onde está essa classe média?), era preciso criar números. E criaram. O resultado é essa piada que se encontra no trecho da matéria acima.

A classe média alta – ricos, portanto -, sabemos agora, tem renda familiar per capita entre R$ 641 e R$ 1.019. Ou seja, a empregada doméstica de sua casa, leitor tonto, é rica. Não vai para o trabalho numa Mercedes Benz porque certamente é uma mão de vaca.

O PT não se cansa de tentar falsificar a história. Acaba, agora, de falsificar os limites das classes sociais. Definitivamente, Lula é um Marx sem furúnculo e sem luta de classes.

PS: Eu, então, sou um milionário e não sabia.

29 de maio de 2012 às 19h52min

Rosane Collor conta sua versão
do impeachment em biografia

Duas décadas depois do impeachment de Fernando Collor, em dezembro de 1992, a ex-primeira-dama Rosane Collor pretende lançar ainda este ano uma biografia para mostrar a sua versão de alguns dos acontecimentos mais surpreendentes da história recente do país, como informou a reportagem de Eliane Trindade neste domingo.

Crente fervorosa, a companheira do ex-presidente por 22 anos diz que a proteção divina a livrou também da maldição do impeachment, que vitimou Pedro Collor e PC Farias, entre outros.

Em tempos de CPI de Carlinhos Cachoeira, que tem entre seus membros o hoje senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL), a ex-primeira-dama, que se orgulha da lealdade no momento da queda, é crítica quanto à recente proximidade do ex-marido com inimigos históricos. “Política é exatamente isto. É Lula junto com Collor. É Collor junto com Renan Calheiros.”

Ela não descarta a possibilidade de voltar a Brasília como deputada federal. Filiada ao Partido Verde, já teve propostas para se candidatar. “Tá uma coisa de ‘stand by’. Já pensou? Fernando no Senado e eu, como federal? Seria uma boa ideia.”

PENSÃO ALIMENTÍCIA

A ação de pensão alimentícia movida por Rosane Collor contra o ex-marido deverá ser julgada pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça) ainda este ano.

O processo litigioso de divórcio, que se arrastou de 2005 a 2010 na Justiça alagoana, caminha para um desfecho, depois de ficar quatro anos no limbo à espera de o réu Fernando Collor ser citado.

O STJ vai apreciar agora um recurso do ex-presidente que contesta a decisão do Tribunal de Justiça de Alagoas a favor de Rosane.

O tribunal garantiu a ela o recebimento de uma pensão de cerca de R$ 15 mil mensais e também “alimentos compensatórios”. Ou seja, ela teria direito a receber, a título de compensação, dois carros e dois apartamentos no valor histórico de R$ 900 mil.

“O TJ de Alagoas analisou com muita seriedade e competência a questão e a decisão que prevaleceu reflete o que há de mais moderno em termos de direito de família”, afirma Paulo Brincas, advogado de Rosane.

Casada em regime de separação total de bens, Rosane não teve direito a nenhum dos bens do patrimônio do ex-presidente. “Não é justo passar pelas humilhações que passei junto ele e, no final, não ter nem uma casa onde morar”, diz Rosane.

Ela também espera receber R$ 250 mil em pensões em atraso. Procurados pela Folha, Collor e seus advogados não quiseram falar sobre o processo que corre em segredo de justiça.

29 de maio de 2012 às 12h25min

Sujou: Gilmar Mendes confirma conteúdo da conversa com Lula

Pois é, o ministro do STF Gilmar Mendes, em entrevista ao jornal Zero Hora, confirmou a conversa com Lula, da forma como já fora noticiado pela revista Veja.

Leiam uns trechinhos:

ZH — Como ele demonstrou preocupação com o mensalão, o que falou?
Mendes —
 Lula falou que não era adequado julgar este ano, que haveria politização. E eu disse a ele que não tinha como não julgar este ano.

ZH — Ele disse que o José Dirceu está desesperado?
Mendes —
 Acho que fez comentário desse tipo.

ZH — Lula lhe ofereceu proteção na CPI?
Mendes —
 Quando a gente estava para finalizar, ele voltou ao assunto da CPMI e disse “que qualquer coisa que acontecesse, qualquer coisa, você me avisa”, “qualquer coisa fala com a gente”. Eu percebi que havia um tipo de insinuação. Eu disse: “Vou lhe dizer uma coisa, se o senhor está pensando que tenho algo a temer, o senhor está enganado, eu não tenho nada, minha relação com o Demóstenes era meramente institucional, como era com você”. Aí ele levou um susto e disse: “e a viagem de Berlim.” Percebi que tinha outras intenções naquilo.

ZH — O ex-ministro Nelson Jobim presenciou toda a conversa?
Mendes —
 Tanto é que quando se falou da história de Berlim e eu disse que ele (Lula) estava desinformado porque era uma rotina eu ir a Berlim, pois tenho filha lá, que não tinha nada de irregular, e citei até que o embaixador nos tinha recebido e tudo, o Jobim tentou ajudar, disse assim: “Não, o que ele está querendo dizer é que o Protógenes está querendo envolvê-lo na CPI”. Eu disse: “O Protógenes está precisando é de proteção, ele está aparecendo como quem estivesse extorquindo o Cachoeira”. Então, o Jobim sabe de tudo.

Leiam a entrevista completa aqui.

29 de maio de 2012 às 09h01min

Com Ricardo Murad é assim: remédio para
pobre só é liberado com ação da Justiça

Como escrevi, não se deve falar de corda em casa de enforcado. Era um recado para Sarney, que agora se prepara para o concurso de Fiscal do Prefeito João Castelo.

Pois bem, o Governo do Estado, dirigido por Roseana Sarney pelo 14º ano, já deixou 12 crianças morrem em Imperatriz por falta de leito. Isso mesmo, por falta de leito! Não faz muito dois irmãos, para se tratar em Goiás, tiveram de entrar na Justiça. Além de não ter hospital no Maranhão para o tratamento das duas crianças, a Secretaria de Saúde se negava a custear a viagem.

Agora, Sarney, o Estado está sendo de novo obrigado a distribuir remédio. Obrigado pela Justiça, porque no Maranhão de Roseana Sarney e de Ricardo Murad pobre só recebe remédio se tiver a intervenção da Justiça!

Leiam a matéria que acabo de colher no Ministério Público (o título acima é do blog):

O Ministério Público do Maranhão está acompanhando o cumprimento de decisão da 1ª Vara da Infância e Juventude de São Luís que determinou ao Estado do Maranhão a entrega regular do medicamento hidroxuréia a crianças e adolescentes com anemia falciforme. A doença ocorre, em sua maioria, com pacientes negros e afrodescendentes.

A decisão liminar, do dia 17 de dezembro de 2010, é resultado de Ação Civil Pública ajuizada pela 1ª Promotoria de Justiça da Infância e Juventude no mesmo ano e foi confirmada em 27 de maio de 2012. O juiz José Américo Abreu Costa determinou a “dispensação regular, intermitente e suficiente do medicamento hidroxuréia a todas as crianças e adolescentes cadastradas na Farmácia Estadual de Medicamentos Excepcionais”.

O promotor de Justiça Márcio Thadeu Silva Marques alerta a população para ficar atenta ao cumprimento da decisão judicial. “Todo o descumprimento deve ser comunicado ao Ministério Público para que possa tomar as medidas cabíveis”. Na avaliação do titular da 1ª Promotoria de Justiça da Infância e Juventude, a sociedade deve acompanhar e questionar eventuais desobediências.

Dano moral coletivo – Em apelação à Justiça, protocolada na última quinta-feira (24), o Ministério Público requer a condenação do Estado do Maranhão pelo dano moral coletivo decorrente da falta de fornecimento prévio do medicamento aos pacientes com anemia falciforme.

Sem o medicamento, crianças e adolescentes podem apresentar crises de dor nos ossos e articulações, inchaço das mãos e pés, úlceras na pele e infecções. Além do agravamento do quadro de saúde, pacientes correm risco de morte.

“A omissão ou o fornecimento irregular de medicamentos constitui prática ilegal. A precariedade da assistência farmacêutica, além de expor a vida de várias crianças a riscos, fere o princípio da prioridade absoluta do público infanto-juvenil, conforme estabelece o Estatuto da Criança e do Adolescente”, afirma o promotor de Justiça.

29 de maio de 2012 às 08h24min

Prefeito de Carolina é condenado
por irregularidades em licitações

A 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) julgou parcialmente procedente uma ação penal contra o prefeito do município de Carolina, João Alberto Martins Silva, e o condenou a 3 anos de detenção, em regime aberto, pena esta substituída por duas de prestação de serviços à comunidade. Ainda cabe recurso da decisão tomada ontem, segunda-feira (28).

A razão da condenação foi o fato de o Tribunal de Contas do Estado (TCE) ter desaprovado as contas prestadas pelo prefeito em gestão anterior, referentes ao ano de 1998, por irregularidades em licitações, apontadas em denúncia do Ministério Público estadual (MPE). João Alberto Silva também deverá pagar multa de R$ 3.778,00 e poderá ter decretada a perda definitiva do cargo, com suspensão dos direitos políticos por cinco anos, após o trânsito em julgado da ação (quando não cabe mais recurso).

O Ministério Público havia pedido a condenação por irregularidades em processos licitatórios (artigo 89 da Lei de Licitações) e por concurso material (artigo 69 do Código Penal). Em relação a este último, o desembargador Froz Sobrinho (relator) afastou a hipótese, por entender que houve apenas um crime.

A defesa do prefeito sustentou, preliminarmente, que o parecer prévio do TCE está sub judice, em razão de ação anulatória que tramita na Justiça de 1º grau, e que os suspeitos indícios de irregularidades não implicam em prejuízos ao erário, nem comprovam má-fé do gestor.

Fora dos padrões – O relator observou que as provas constantes no processo demonstram claramente que o prefeito fracionou compras, para que os valores não ultrapassassem o patamar previsto em lei. Acrescentou que as aquisições de medicamentos, combustível, peças e acessórios para veículos da frota municipal foram realizadas fora dos padrões legais exigidos.

Os desembargadores Benedito Belo e Joaquim Figueiredo votaram de acordo com o entendimento do relator, em parte de acordo com o parecer da Procuradoria Geral de Justiça, assinado pelo subprocurador- geral para Assuntos Jurídicos, Eduardo Nicolau.

Com informações do TJMA.

29 de maio de 2012 às 08h01min

“STF não é sindicato”

Um bom artigo da jornalista Eliane Cantanhêde, hoje na Folha de S. Paulo:

“STF não é sindicato”

BRASÍLIA – Nem Lula, nem Nelson Jobim, nem Gilmar Mendes desmentem que houve um encontro entre eles, no dia citado pela “Veja” e no escritório de Jobim. Esses são os fatos, o resto são versões e especulações. A elas.

Jobim foi ministro de Lula e é (pelo menos era até sexta-feira passada) amigo pessoal de Gilmar. Logo, um mediador perfeito para uma conversa espinhosa entre os dois, dessas que jamais podem sair na imprensa, mas vivem saindo. Seria muita cara de pau dizer que o encontro foi mera coincidência.

Gilmar vive às turras com o PT de Lula, e Lula não gosta de ninguém que não o endeuse. Gilmar e Lula não marcariam de se encontrar no escritório de Jobim só para bater um papo, tomar uma cerveja e comer amendoim. Nem para falar de flores.

Já que tratamos aqui de especulações, vamos pensar: falaram, então, do clima seco de Brasília? Da Rio+20? Do Corinthians na Libertadores? Do sucesso de Dilma? Ou, ao contrário, do novo “pibinho” de menos de 3% que se anuncia para 2012?

Afora o Corinthians, não consta que Lula esteja dando muita bola para nenhuma dessas coisas. Dizem -não os adversários, mas os fiéis seguidores- que ele só age pensando naquilo: eleição de São Paulo, CPI do Cachoeira e… mensalão. Questões, aliás, bastante intrincadas entre elas.

Logo, “se non é vero, é bene trovato” que Lula ande à cata de ministros do Supremo para adiar o julgamento do mensalão em ano eleitoral e tente usar a CPI como moeda de troca. Como também soa quase natural, até pela personalidade, Gilmar botar a boca no trombone.

Tudo faz tanto sentido que os demais ministros compraram rapidamente a história e reagiram com firmeza. O decano Celso de Mello acusa ingerência entre Poderes e Marco Aurélio Mello dá um basta: “O Supremo não é sindicato!”.

Pode não ser, mas há quem trate o país como um grande sindicato.

29 de maio de 2012 às 07h09min

CBF define datas e horários das
semifinais da Copa do Brasil

A CBF anunciou no início da noite desta segunda-feira as datas e horários das semifinais da Copa do Brasil. Grêmio e Palmeiras abrem a fase no dia 13 de junho, às 21h50, no Olímpico, enquanto São Paulo e Coritiba jogam um dia depois no Morumbi, às 21 horas.

O tricolor paulista e o time da capital paranaense decidem a primeira vaga na final no dia 20 no Couto Pereira, às 21h50, e terão de esperar até o dia seguinte para saber quem será o adversário. O jogo de volta de Palmeiras e Grêmio está marcado para dia 21, às 21h.

Com isso, a entidade que cuida do futebol brasileiro foi obrigada a alterar a data do confronto entre São Paulo x Atlético-MG marcado para o dia 16 no Morumbi. Agora, a partida será disputada um dia depois, no domingo, às 16h e não mais às 18h30.

29 de maio de 2012 às 06h16min

Castelo volta a liderar enquete

Pela segunda vez o prefeito João Castelo (PSDB) assume a liderança na enquete. Tadeu Palácio (PP), que costuma disparar nas enquetes aqui no blog, vem encontrando dificuldades. Edivaldo Holanda Júnior (PTC) já teve performances melhores.

Eis outra parcial da enquete (que pode ser votada aí ao lado direito do blog):

João Castelo – 51% (601 votos)

Tadeu Palácio – 45% (535 votos)

Edivaldo Holanda Júnior – 4% (54 votos)

página 1 de 712345...última »